Ir para conteúdo

João Melo

João Melo

Nasceu em 1955 em Luanda, onde mora. É escritor, passou pelo jornalismo, pela publicidade, pela política (Foi deputado e ministro da Comunicação Social), é professor universitário e consultor.

Começa a publicar em Portugal com o volume de contos Imitação de Sartre & Simone de Beauvoir (1998) (embora se tenha estreado em 1985, com Definição, um livro de poesia) e hoje conta com dezena e meia de títulos. Já este ano lançou o seu primeiro romance, justa e provocadoramente intitulado Será este livro um romance?, depois de, em 2021, ter regressado à Poesia com Diário do Medo (Edições Urutau). Entre os seu títulos, encontramos volumes de contos O Dia em Que o Pato Donald Comeu Pela Primeira vez a Margarida, O Homem que Não Tira o Palito da Boca ou Os marginais e Outros Contos, bem como de poesia, caso de Auto-Retrato, Amor ou Polis Poesis.

É membro fundador da União de Escritores Angolanos, de que foi secretário-geral e presidente. Membro fundador da Academia Angolana de Letras.

Como escritor, tem-se dedicado ao conto, crónica, poesia e ensaio. Publicado em Angola, Portugal, Brasil, Itália e Cuba. Tem textos traduzidos para inglês, francês, alemão, húngaro, árabe e mandarim. Está representado em várias antologias de poesia e de contos, em Angola e no estrangeiro. Em 2009 recebeu o Grande Prémio de Cultura e Artes, categoria de literatura, pelo conjunto da sua obra.

Estudou Direito em Coimbra e Luanda, é licenciado em Jornalismo e Mestre em Comunicação e Cultura.