Ir para conteúdo

Rui de Almeida Paiva

Rui de Almeida Paiva

Nasceu em 1977. Enquanto escritor tem trabalhado para diversos projectos de teatro, dança e cinema. Tem os seguintes livros livros publicados: A Mala Rápida do Senhor Parado (2010, editora Trinta por Uma Linha); Quem viaja encontra os segredos antigos mas perde os sapatos novos (2014, Dois Dias Edições); Efeito Kuleshov, com Joana Bértholo e Sofia Gonçalves (2014, Dois Dias Edições); Ministério da Educação (2015, editora Douda Correria); O Ploc do Pollock (2016, editora Caminho); Canções de Embalar Belos Planetas Cansados (2018, editora Douda Correria); Quem Vem Lá? (2019, editora Caminho); produção literária do livro Duplo Vê – O Tautólogo, de Mattia Denisse, 2017. Em 2011, com Sofia Gonçalves, fundou a Dois Dias Edições, cuja publicação mais recente é K Contra K, um “Catálogo Incompleto das edições Tripé”.

A partir de 2017 iniciou uma colaboração teatral com Bruno Humberto. Juntos, escreveram e encenaram as peças O Ploc do Pollock (2017), O Sequestro (2018), A Vila (2019).

Fez um mestrado em Edição de Texto, na FCSH-UNL, em 2013 – com a tese Jean Rouch: o cineasta da máquina de escrever ou o escritor da câmara de filmar, explorando a hipótese do trabalho de edição a partir da tradição oral. Escreveu e realizou o filme A Ilha Invisível (Produções Cedro Plátano), estreado no DocLisboa 2018.