Ir para conteúdo

José Luís Peixoto

José Luís Peixoto

Acaba de lançar Almoço de Domingo, romance construído a partir dos 90 anos de Rui Nabeiro e das memórias do empresário.

Nasceu em 1974, em Galveias, localidade fixada com o título de um romance seu. Estreou-se em 2000, com uma edição de autor, Morreste-me, ainda hoje um dos livros mais carismáticos e pessoais. Logo em 2001, conquistou o Prémio Literário José Saramago, com o romance Nenhum Olhar. Em 2007, Cemitério de Pianos recebeu o Prémio Cálamo Otra Mirada, destinado ao melhor romance estrangeiro publicado em Espanha. Com Livro, venceu o prémio Libro d'Europa, atribuído em Itália ao melhor romance europeu publicado no ano anterior, e em 2016 recebeu, no Brasil, o Prémio Oeanos com o já referido Galveias.

As suas obras foram ainda finalistas de prémios internacionais como o Femina (França), Impac Dublin (Irlanda) ou o Portugal Telecom (Brasil). Na poesia, o livro Gaveta de Papéis recebeu o Prémio Daniel Faria e A Criança em Ruínas recebeu o Prémio da Sociedade Portuguesa de Autores. Em 2012, publicou Dentro do Segredo, Uma viagem na Coreia do Norte, a sua primeira incursão na literatura de viagens. Os seus romances estão traduzidos em mais de trinta idiomas. As suas obras imediatamente anteriores são Autobiografia (2019), na prosa, e Regresso a Casa (2020), na poesia.