Ir para conteúdo

Humberto

Humberto
Humberto, credito foto: Antonio Curcetti

Nos últimos dez anos, efetuou bandas sonoras para peças de teatro, dança e cinema. Gravou e tocou internacionalmente com a banda e coletivo de improvisação Orchestra Elastique (da qual é fundador e integrante), fazendo bandas sonoras com esta para curtas e longas metragens. Com este coletivo fez a banda sonora para o filme A Fallible Girl (2013) realizada por Conrad Clark, lançou um EP e dois álbuns, tocou em festivais, museus e cinemas em Inglaterra e em outros países.

Colaborou em duas performances e instalações sonoras com o compositor Allard van Hoorn, no festival Lisboa Soa em 2016, e na abertura do Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT), em 2017. Fez a sonoplastia para última versão da peça Gentileza de um Gigante, do coreógrafo Gustavo Ciríaco, assim como Cortado por todos os lados, Aberto por todos os cantos, na edição de 2018 do Festival Alcântara, no Teatro D. Maria II. Encenou e fez música para as suas próprias peças - The Camus Incident, performance site-specific finalista do Oxford Samuel Beckett Theatre Trust Award, o solo Holding Nothing e a peça no tecido urbano Land, A Morte da Audiência, entre outras. Neste momento faz parte da banda de música livre CATARATA, com quem actua regularmente.